quinta-feira, 6 de março de 2014

Sugestão de leitura : O Temor do Sábio

 Eai galerinha tudo bem com vocês? bom de volta 

                           Bom vamos lá, faz um tempo que terminei de ler esse livro e de fato é muito bom; porque? o livro simplesmente a narrativa em 1º e 3º pessoa te prende tanto que você nem percebe o decorrer das quase 1000 paginas.. Entao vamos lá 

Título Nacional: O Temor do Sábio
Ano de Lançamento: 2011
Número de Páginas: 960 páginas
Editora: Arqueiro
Tradutor: Vera Ribeiro
Título Original: The Wise Man’s Fear
Ano de Lançamento: 2011
Número de Páginas: 992 páginas
Editora: DAW Books
Sinopse: Quando é aconselhado a abandonar seus estudos na Universidade por um período, por causa de sua rivalidade com um membro da nobreza local, Kvothe é obrigado a tentar a vida em outras paragens. Enquanto tenta cair nas graças de um nobre poderoso, Kvothe usa sua habilidade de arcanista para impedir que ele seja envenenado e lidera um grupo de mercenários pela floresta, a fim de combater um bando de ladrões perigosos. Ao longo do caminho, tem um encontro fantástico com Feluriana, uma criatura encantada à qual nenhum homem jamais pôde resistir ou sobreviver – até agora. Kvothe também conhece um guerreiro ademriano que o leva a sua terra, um lugar de costumes muito diferentes, onde vai aprender a lutar como poucos. Enquanto persiste em sua busca de respostas sobre o Chandriano, o grupo de criaturas demoníacas responsável pela morte de seus pais, Kvothe percebe como a vida pode ser difícil quando um homem se torna uma lenda de seu próprio tempo.

                          Depois de passar um mês e meio lendo esse livro, Kvothe já era quase parte da minha família, e foi difícil me desapegar. O segundo dia começa exatamente onde terminou o primeiro, e, quem olha o tamanho desse livro e acha que vai ser só enrolação na maior parte do tempo, se engana completamente, pois o livro nao perde em nenhum momento o sentido ou o ritmo. 

“Ouvi o que os poetas escrevem sobre as mulheres. Eles fazem rimas, desmancham-se em elogios e mentem. Já vi marinheiros no cais, fitando emudecidos o lento inflar das ondas. Já vi velhos soldados de coração empedernido lacrimejarem ao contemplar a bandeira de seu rei, desfraldada ao vento.
Escute o que digo: esses homens nada sabem do amor.
Você não o encontrará nas palavras dos poetas nem no olhar saudoso dos marinheiros. Se quiser saber do amor, olhe para as mãos de um artista de trupe produzindo sua música. Ele sabe.” (pág. 57-58).

                        É impressionante como o autor consegue desenvolver sua narrativa de forma que não canse o leitor, e não fique repetitiva, apesar de o protagonista estar boa parte do livro nos mesmos ambientes que o primeiro, como a Universidade, por exemplo. Mesmo Kvothe passando mais alguns períodos letivos com extrema dificuldade para pagar a taxa escolar, ou sem condições de comprar roupas ou sapatos novos, a estória se desenvolve e começa a abordar outros conflitos, mostrando a versatilidade do autor e envolvendo ainda mais o leitor nos dramas e confusões do personagem.

 “-Lembre-se de que há três coisas que todo sábio teme: o mar na tormenta, uma noite sem luar e a ira de um homem gentil.”

                          O faz essa estória criada por Rothfuss ser tão interessante é que ele criou um mundo de fantasia totalmente diferente: existe magia, mas ela não aquela comum feita com varinhas ou poções, as criaturas fantásticas também não se limitam a dragões, duendes, fadas ou algo parecido. Ele conseguiu construir um ambiente mágico e envolvente, com personagens distintos e um enredo fascinante

quarta-feira, 5 de março de 2014

Historia de Terror real.

 Caso Mery Bell: A mais jovem assassina 




                          O assassinado brutal de duas ciranças  de idade pre-escolar  por um assassino já é bastante chocante, mas quando o assassino psicopata  é uma criança de 11 anos com rosto redondo e grandes olhos azuis - o crime provavelmente provocara uma explosao de horror , indigniçao, horror e assombro ; foi exatamente o que aconteceu no verao de 1968, quando  Grã-Bretanha foi abalada pelo caso de Mary Bell , possivelmente a mais jovem assassina da atualidade.
                        O caso nao apenas chocou a populaçao pela pela pouca idade da assassina, mas sim pela forma fria e calculosa a qual ela apresentava.  pequena Marry Bell uma garota q desde pequena ja apresentava sinais de ser uma criança fora do normal, desde pequena a Marry matava e maltratava pequenos animais como caes e gatos.
                   
 
 Durante a infancia, MAry constatemente era humilhada pela mae pelo fato de "fazer xixi na cama", a mae esfregava o rosto da filha no "xixi" e pendurava o cochao do lado de fora da casa para todos verem o que a pequena Mary fez. Beth mae de Mary tambem aplicava varios tipos de castigos severos em sua filha; sem falar nas inumeras vezes a qual ela tentou se livra da filha. O mais perturbador para Mary era quando Beth permitia - forneceu o consentimento - que ela fosse abusada sexualmente, sendo forçada a participar dos jogos sexuais da sua mãe com os clientes diversas vezes. Isso tudo antes dela completar 5 anos de idade.

                       Com isso Mary desenvolveu seu passatempo favorito: maltratar animais. Além disso, ela adorava espancar suas bonequinhas e não chorava quando machucava. Aos 4 anos tentou matar um coleguinha enforcado e aos 5 presenciou sem nenhum tipo de emoção o atropelamento de um outro amiguinho. Depois que aprendeu a ler ficou incontrolável. Pichava paredes, incendiou a casa onde morava e torturava animais com maior frequência
                  Mary Bell foi condenada por asfixiar Martin Brown em 25 de maio de 1968, um dia antes de seu 11º aniversário. Matou ajudada pela amiga Norma Bell. Suas duas vítimas tinham 3 e 4 anos, também foi acusada de tentar estrangular quatro outras meninas. Em 1973, Mary foi transferida para a prisão de Moor Court Open; essa mudança provocou efeitos negativos em seu comportamento. Em 1977, Mary Bell fugiu, perdeu a “virgindade” e foi recapturada alguns dias depois. Ela afirmou que tentou engravidar, e seu companheiro vendeu sua história para os tablóides
            Foi responsável pela vandalização da enfermaria escolar e de escrever ameaças mas paredes.
Foi considerada culpada de homicídio involuntário em 17 de dezembro de 1968, tendo o júri o conhecimento de seu diagnóstico onde psiquiatras descreveram sintomas clássicos da psicopatologia.
Foi liberada da custódia em 1980 e foi concedido anonimato para começar uma nova vida com sua filha, que nasceu em 1984,e seu marido. Vinte e sete anos depois de sua condenação, e após a morte de sua mãe, Mary Bell aceitou falar à jornalista Gitta Sereny sobre sua infância, O resultado é uma biografia chamada “Gritos no Vazio”.


Quando ocorreu: 1968
Crimes: assassinato
Pena: foi condenada a prisao perpetua, mas aos 23 anos recebeu uma  condicional, por boa conduta no ano de 1984

.


O tempo passou e após muitos tratamentos e avaliações ela foi liberada em 14 de maio de 1980, com 23 anos. Teve alguns empregos que não foram bem sucedidos, em parte pela preocupação de que voltasse a transgredir, como quando arranjou emprego em uma creche. Mary então arrumou outro emprego como garçonete. Mais tarde casou e engravidou e devido ao seu passado teve que lutar pelo direito de criar sua filha, a qual nasceu em 1984. De certa forma os anos de tratamento surtiram efeito, Mary tornou-se uma mãe amorosa.

Ela tem sua nova identidade e endereço mantidos sob sigilo pela “Ordem Mary Bell”, uma Lei criada em 21 de maio de 2003 na Inglaterra que protege a identidade de qualquer criança envolvida em procedimentos legais. Apesar disso continuou tendo problemas com a vizinhança que sempre descobria sua verdadeira identidade. Mary não se livrou de seu passado macabro. Em 2007, depois da morte da sua mãe Mary Bell aceitou ser entrevistada, pela jornalista Gitta Sereny, resultando no livro “Gritos no Vazio” que contém sua biografia escrita pela mesma jornalista. Mas o governo inglês evita a comercialização da obra, tentando mantê-la apenas nas mãos de pessoas que estudam temas ligados à psicopatia.

                                            documentario em ingles:



domingo, 6 de outubro de 2013

Segestao de leitura : Em Nome do vento, Patrick Rothfuss


boa tarde ackimis quanto temo em ?? ando meio sem tempo comecei a trabalhar hehe


Livro 1 - O Nome do Vento - Patrik RothfussTítulo Nacional: O Nome do Vento
Ano de Lançamento: 2009
Número de Páginas: 656 páginas
Editora: Arqueiro
Tradutor: Vera Ribeiro
Título Original: The Name of the Wind
Ano de Lançamento: 2007
Número de Páginas: 662 páginas
Editora: DAW Books
A história do livro em 'O Nome do Vento' começa no presente com Kothe, dono de uma pousada, uma das muitas identidades que vamos conhecer do nosso incrível personagem principal. Já velho e com um ajudante jovem que aparentemente algum poder oculto, em um mundo tipo "Terra-Média" onde todos os tipos de coisas fantásticas acontecem, Kothe vai levando sua vida simples em um vilarejo pequeno na sua pousada Marco do Percurso.


Nesse mundo existe uma lenda de um personagem, chamado  Kvothe, O Bardo, O Sem-Sangue, O Arcano, O Regicida, entre outros títulos que fazem alusão aos seus feitos inimagináveis e que, até aquele momento, tal personagem estava desaparecido. Numa manhã, um Historiador Arcano (Mago) chamado de O Cronista (vejam bem, não é um cronista e sim “O” Cronista) entra na pousada Marco do Percurso e acaba identificando o dono da pousada como o Kvothe da lenda. Sendo desmascarado e aproveitando a oportunidade, Kothe faz a proposta, que é logo aceita pelo Cronista. Tal proposta é: em três dias será contada a verdadeira história de sua vida, sem os mitos e mentiras espalhadas pelo mundo. Inicia-se então uma narrativa cheia de ação, amor e tragédia, onde o personagem deixa de ser um bardo fantástico para transforma-se em um Gênio Mago; de uma criança órfã a um dos estudantes mais brilhantes da Academia Arcana. Ele aprende a amar sua primeira mulher e a odiar com todas as forças quem faz mal às suas pessoas queridas. Ele aprende o significado da sua vida e o Nome do Vento...


Você torce pelo protagonista, entende os erros dele, comemora os acertos, mas não sente a angústia de querer saber o que tem na pagina seguinte. Por outro lado, não consegue deixar de se perguntar como a criança descrita no início da história vai se tornar o hospedeiro que a está narrando.
É uma maneira bem diferente de apresentar o enredo, pois ele é intrincado de maneira sutil e suave, dando a impressão inicial de que são apenas algumas histórias soltas. Até que você se dá conta de que são as experiências de vida de um único personagem – do ponto de vista do personagem.
Existem capítulos específicos com o título iniciado pela palavra “Interlúdio”. E nesses a narrativa sai do ponto de vista do personagem e volta à narrativa do autor contando o momento presente em que Kvothe interage com o cronista. Por outro lado, Esses poucos momentos mostram também uma história por trás da história. As consequências das atitudes do personagem que ainda não foram reveladas ao leitor.
Eu realmente recomendo a leitura desse livro pelo simples fato de que eu me apaixonei por ele. Não é um livro sem final, mas é um livro que não conta a história toda. Boa Leitura!!

segue ai uma das melhores fan-made do livro o nome do vento...




sexta-feira, 19 de julho de 2013

Old Time: Mario (parte 1)


                                                           

Boa Noite 

     E ai galerinha, serio pessoal você leu o nome, viu a foto do carinha ai em cima, e ainda não faz ideia de quem vamos falar, serio vá a um medico.
                                                        
                                                      It's me Mario
     Se você já sabe de quem estou falando, sim você é do planeta terra, mas se você é algum tipo de Alien ou sei lá, vou te apresentar nosso querido amigo pulador de tartarugas, ele é dono de uma franquia de jogos, seu primeiro jogo feito para o Atari foi um grande sucesso em 1983.
                                         
     
         O jogo consistia em Mario e Luigi entrando e saindo de canos verdes e matando tartarugas no meio das fases vocês saiam nos canos de baixo e tinham que entrar nos de cima passando pelas tartarugas ninjas. Porém em 1985 foi lançado um jogo chamado Mario Bros.
                                                   


             Ai sim agora temos um Mario que já tem uns gráficos melhores e já rodava no nosso querido Nintendo, e o pessoal passa horas tentando passar por suas fases com um nível de dificuldade maior. Super Mario Bros 1, 2 ,3. foram ficando cada vez mais bonitos, divertidos e difíceis.   

Agora galera veio um jogo que eu passei mais de 200 horas jogando, o nome dele?
                                                 

    Super Mario Word foi um dos jogos mais aclamados do seculo 20 com mais de 20 milhões de cópias vendidas por todo o mundo, e ainda hoje jogado por muitos. 
     Com suas 96 fazes com diversos níveis de dificuldades, até ás fases mais babas até aquelas capaz de tirar a paciência dos mais experientes jogadores, é um jogo que divertiu milhares e milhares de crianças, você podendo montar alguns dinossauros de 5 cores diferentes e com poderes malucos, com fases secretas e passagens escondidas na maioria das fases. 
    Na história do jogo a princesa Peach foi mais uma vez sequestrada pelo Browser no meio de uma viajem a Yoshi's Island. E nós temos que levar nosso amigo Mario por 5 mundos diferentes, e além desses 5 mundos há um mundo secreto "Special World"  e só aqueles que conquistaram ás mais difíceis fases desse jogo conseguem ver esses 5 mundos em um formato diferente. 
    Bem depois do estrondoso sucesso de Super Mario World a nintendo nunca mais abandonou esse personagem, lançando a cada temporada um novo jogo do nosso amigo Mario, porém na maioria dos jogos o formato é o mesmo (em time que está ganhando não se meche) Mario salvando sua princesa. 

 Falow galerinha esse post fica por aqui em outro post coloco as novidades sobre nosso amiguinho bigodudo e alguns segredos e curiosidades sobre esse pulador de tartarugas... 


              







sábado, 15 de junho de 2013

#OBrasilAcordou


Vídeo filmado pelo Serginho Mallandro direto da sacada da sua casa com um policial dando umas porradas (pq?) no vidro da própria viatura…..é interessante




                Bom, isso ai foi uma só das coisas que aconteceu, é claro que toda historia sempre tem 2 lados, existe o vandalismo SIM, como sempre ocorre em aglomerado de pessoas, mas existe 99% das pessoas que estavam protestando pacificamente e sofreram um pouquinho de abuso dos policias.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Anunciado o trailer de O Hobbit: A Desolação de Smaug

Veja abaixo também o primeiro pôster do filme divulgado recentemente:




                                                                   Versão em inglês                      


Versão legendada em Português



O Hobbit: A Desolação de Smaug chega aos cinemas em 13 de dezembro desse ano. Já a terceira e última parte, O Hobbit – Lá e De Volta Outra Vez, estreia em 19 de dezembro de 2014.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Desenvolvido por Guilherme Tintel, usando a tecnologia Blogger.